30 de mai de 2011

Não Gosto dos Meninos


Curta-metragem "Não Gosto dos Meninos", inspirado no projeto internacional "It Gets Better".

Incrível como o curta consegue mostrar vários pensamentos que vários de nós compartilhamos em diversas fases da vida e também mostrar diversos tipos de pessoas: os "estereotipados" e os não, e que por mais diversas que sejam as trajetórias, parece que todas elas seguem uma mesma linha. 


Veja o filme completo no link abaixo:
http://vimeo.com/24369234


24 de mai de 2011

O Homem ao Lado


Filme argentino que retrata um conflito entre um designer sofisticado (mas arrogante) e seu vizinho, bruto e invasivo. O filme é muito bem construído e gera diversas leituras, conforme pude constatar após a sessão, quando comecei a conversar com meus amigos. O que confirma ainda mais aquele conceito de que não existe uma única realidade, mas que a verdade depende do lado em que você está.

Minha Cotação: * * * *


23 de mai de 2011

Piratas do Caribe 4


Um religioso se apaixona por uma sereia
Confesso que fui assistir meio forçado esse Piratas do Caribe 4, porque não gostei muito dos outros (o último me pareceu quase insuportável). Mesmo assim, a gente acaba indo pelas companhias, mas evitei assistir em 3D, para a experiência não ser ainda mais frustrante. Apesar disso, o filme não chega a ser ruim, a sequência inicial até é bem divertida, mas o resto do filme senão decepciona, também não empolga. Aqui, os destaques (se é que pode se chamar de destaque, já que fica tudo no meio termo) ficam para as sereias, para o romance entre um padre e uma delas e para a presença de Penelope Cruz, embora em personagem apático.

Minha Cotação: * *

20 de mai de 2011

Livro das Mil e Uma Noites


Há duas semanas, comecei uma oficina chamada "Narrativas de Viagem" na Oficina da Palavra Casa Mário de Andrade. Os escritores, viajantes reais ou imaginários, transformaram seus relatos de viagem em um gênero literário dos mais instigantes. A oficina pretende introduzir os alunos às diferentes formas de narrar a viagem, percorrendo as principais características de alguns textos fundantes do gênero.

Vou reproduzir aqui algumas das leituras que estou fazendo no curso, até mesmo porque aproveito esse espaço para organizar os conceitos discutidos no curso.

Os Agentes do Destino


Adaptação de um conto de Philip K. Kick (que inspirou filmes como Blade Runner, Minority Report e O Vingador do Futuro), aqui nessa história o filme lembra um pouco Matrix, no que tange em relação até que ponto controlamos realmente nosso destino. A história é bem interessante, mas o que mais me chamou a atenção foi o modo como o casal Matt Damon/Emily Blunt foi construído. Com roteiro hábil e interpretações perfeitas, o casal cria um empatia imediata junto ao público.

Minha Cotação: * * * *

Padre


Histórias de vampiros já têm público cativo (eu, por exemplo), mas nesse filme os vampiros não são lá muito clássicos. São monstros asquerosos, vivem em 'colméias' (cavernas) e têm até uma rainha mãe. Enfim, misture um pouco de Alien, com um pouco de "Abismo do Medo", com um pouco de "40 Dias de Noite" e ainda um pouco de "Mad Max" com "Blade Runner" (o mundo desértico e as cidades escuras são o pano de fundo) e não acrescente nada de "Crepúsculo", e está aí o filme "Padre". Lógico, tudo em menores pretensões ou qualidade na realização, mas o filme tem um bom clima de suspense, usando melhor essa ambientação do que os efeitos visuais.

Minha Cotação: * * *


15 de mai de 2011

Reencontrando a Felicidade


Quanto menos eu souber de um filme, antes de assistí-lo, melhor. No caso de "Reencontrando a Felicidade", essa teoria se comprovou perfeitamente. O roteiro faz questão de apresentar algumas questões de forma gradativa. O que aconteceu com o casal? Quem é o jovem que a protagonista persegue? As perguntas são respondidas gradualmente, efeito que é perdido se você entrar no cinema já sabendo de toda a história.

Mas o filme vai além desse truque de roteiro. Conta com direção sensível e interpretações inspiradas, com destaque logicamente para Nicole Kidman, que recebeu uma indicação ao Oscar por esse filme. Ela está ótima, realmente. No entanto, colabora estar num filme bem construído, com personagens complexos e bem desenvolvidos que, em vários momentos, explora o assunto sob diferentes aspectos. Um filme que vale pelo elenco, pelo roteiro e pela direção: enfim, pacote completo!

Minha Cotação: * * * *


Caminho da Liberdade



O filme é uma história fascinante de um grupo de homens que resolve fugir de um campo de concentração e tem que atravessar algumas das mais inóspitas regiões do planeta. Dirigido com talento por Peter Weir, com ótima fotografia e boas interpretações, o filme só peca na construção psicológica de alguns personagens, que parece um pouco superficial. Mas é, sem dúvida, um filme interessante e envolvente. 

Minha Cotação: * * * * 



13 de mai de 2011

Não se Pode Viver sem Amor


Filme dirigido e roteirizado por Jorge Durán (com quem fiz um curso de roteiro há muitos anos atrás, também diretor do ótimo "Proibido Proibir") em parceria com Dani Patarra. É daqueles filmes multiplot, algumas histórias acontecem paralelamente até os personagens se encontrarem em determinados pontos da narrativa. Adoro esse tipo de roteiro. O filme é bem construído e conta com personagens muito interessantes, extremamente cativantes (como o menino Gabriel e Roseli) e elenco talentoso. Até mesmo Simone Spoladore (que achava um pouco artificial em outros trabalhos) aqui está ótima. Um dos aspectos atraentes é que o filme se passa em locais menos turísticos do Rio de Janeiro, mas que não deixam de ser muito característicos da cidade. Esse pano de fundo é muito interessante. O único senão para mim é a parte final, que parece muito estendida e por vezes um pouco artificial.

Como não sou crítico de cinema, sempre procuro uma crítica que combine um pouco com a minha opinião e, portanto, sabia expressá-la melhor do que eu. Então segue abaixo a crítica do Globo que achei que bateu com a minha.

Minha Cotação: * * * *

8 de mai de 2011

Cinema 2010


"A Origem"
Ano passado gostei muito de um vídeo na internet, que fazia uma montagem dos filmes de 2009 (quase todos norte-americanos). Hoje lembrei de procurar essa coletânea de 2010, e acabei achando algumas outras.

Vejam só e escolham a sua favorita, além da gente poder se lembrar dos filmes do ano passado. Entre os destaques: "A Origem", "Toy Story 3", "A Rede Social", "Cisne Negro", "Kick-Ass", "Scott Pilgrim", "Encontro Explosivo", entre outros.


Nota: Se você clicar no nome do vídeo, abre o link do Youtube, onde é possível ver em tamanho maior e parece que baixa mais rápido.



Stanley Kubrick: a filmography


Adorei esse filme, postado no Facebook pelo Xavier. Além da música ser ótima, o vídeo ainda traz montagens com imagens inspiradas nos posters de filmes de Stanley Kubrick. Queria que tivesse um do Hitchcock. 

Para falar um pouco do Kubrick, ele fez vários filmes que adoro. Lembro vagamente de "O Grande Golpe", filme que preciso rever, mas que me marcou por ser um dos primeiros a mostrar uma mesma ação sob diferentes pontos de vista: outros filmes foram "Rashomon" e o mais recente "Ponto de Vista". Outros clássicos inesquecíveis e fantásticos: "2001" (um dos melhores filmes de ficção científica de todos os tempos), "Laranja Mecânica", "O Iluminado" (um dos melhores filmes de terror de todos os tempos) e finalmente, o meu Kubrick favorito (e também o último de sua carreira): "De Olhos Bem Fechados". 




Como Arrasar um Coração


O que mais se fala sobre esse filme é que trata-se de um filme francês querendo copiar Hollywood. Como não sou lá muito fã do cinema francês e esse tipo de associação não representa para mim uma crítica negativa, resolvi assistir o filme. Aliás, por tratar-se de uma comédia romântica, levei minha mãe. E o filme é bem agradável, divertido e bonito (o filme se passa em Mônaco). Nós dois gostamos. Lógico, assim como as mais típicas comédias românticas, está repleto de clichês. Mas pelo uma coisa não é como em Hollywood: o casal principal. Ela tem uma falha entre os dentes, ele também não é nenhum galã, embora tenha seu charme. Dessa forma, apesar do roteiro convencional, no mínimo o casting não é.

Minha Cotação: * * *


6 de mai de 2011

New York New York - Musical


Fui assistir o musical "New York New York", com Alessandra Maestrini e Juan Alba. Confesso que depois de ter visto o musical "Mamma Mia" (que foi muito fraco), estava com minhas expectativas bastante reduzidas. Por isso, o espetáculo me impressionou pela qualidade do elenco, dançarinos e coreografias (inclusive com excelentes sapateados). A realização é muito correta, principalmente, nas interpretações de Maestrini e do restante do elenco, em canções clássicas americanas, como a canção título, My Way, Fever, The Man I Love, etc. Simone Gutierrez, por exemplo, simplesmente arrasa em um número de Fever. Maestrini está muito bem em "New York New York", mas parece contida demais, se compararmos com Liza Minelli (video video abaixo), mas cada um no seu estilo. O que prejudica mesmo a peça é a trama muito chatinha, ainda bem que não tão dramática como no filme homônimo do Scorsese.





Propaganda do Google


Uma graça de vídeo... Propaganda bem feita é outra coisa, né?



Supremo reconhece união de homossexuais


05/05/2011 - 20h30

Por unanimidade, Supremo reconhece união estável de homossexuais

Maurício Savarese
Do UOL Notícias
Em Brasília




Em um julgamento histórico e por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira (5) reconhecer as uniões estáveis de homossexuais no país. Os dez ministros presentes entenderam que casais gays devem desfrutar de direitos semelhantes aos de pares heterossexuais, como pensões, aposentadorias e inclusão em planos de saúde. A decisão pode ainda facilitar a adoção, por exemplo.

3 de mai de 2011

Quem viaja comigo tem que...


Hoje vou começar uma série relacionada a viagens: "Quem viaja comigo tem que...", que vai falar um pouco das coisas inusitadas que as pobres vítimas que viajam comigo têm que passar. Então, lá vai:

1 - Pegar ônibus

Não sei dirigir, não gosto de dirigir. Então exceto se eu viajo com alguém que saiba dirigir, normalmente dependo do transporte público para ir aos lugares. Também odeio excursão, pacotes, andar em grupos de pessoas que eu não conheço, seguir guias, etc. A coisa que eu mais prezo em uma viagem é ter independência.

Horários de ônibus em Mykonos
No ano passado, por exemplo, fiquei preocupado quando fomos para as ilhas gregas. Em vários sites eu li que o transporte público era ruim, que os ônibus eram escassos e que o melhor mesmo era alugar uma motoneta. Portanto, quase desisti de ir para lá por causa desse empecilho. Mas afinal fomos e no final das contas deu tudo certo, pois tinham ônibus para vários destinos e com horários regulares. Até tinham horários fixados e, por incrível que pareça, eles eram rigorasamente seguidos. Então, nada como poder ir até as praias de Mykonos em um maravilhoso ônibus coletivo.

Mês passado, foi a vez de Fortaleza. Foi um parto conseguir descobrir como chegar nas praias mais distantes de Fortaleza de transporte coletivo. Em certo dia, por exemplo, fui até o posto de informações turísticas e perguntei como chegar ao Beach Park de ônibus (o parque fica a cerca de 30 minutos de Fortaleza). A moça olhou para mim com uma cara assustada (de quem pensa, afinal, se a pessoa vai pagar 100 reais para entrar no Beach Park, porque quer ir de ônibus?) e disse que eu poderia ir de van por uma empresa e pagar 25 reais. Eu perguntei se era assim que as pessoas que moram em Fortaleza e trabalham lá vão. Ela me olhou com uma cara ainda mais surpresa e disse que era a melhor opção.

Turistas nos passeios em Morro Branco,
corremos pelo labirinto de falésias enquanto tirávamos
fotos de qualquer jeito,
tudo  para conseguir seguir o guia
Em outra ocasião, fomos de van para Morro Branco, Praia das Fontes e Canoa Quebrada. Apesar de caro, devo admitir que o trajeto foi acompanhado de um guia que deu várias informações importantes sobre a região, até fez várias piadinhas divertidas sobre os cearenses e conseguimos visitar três praias distantes no mesmo dia, coisa que de ônibus (em particular no Ceará) seria quase inviável. Por outro lado, tivemos que esperar as pessoas da van pararem para tirar dinheiro em caixa eletrônico, ou comprarem remédios, ou comprarem sorvete enquanto todas as outras pessoas aguardavam dentro da van, ou outras necessidades que não eram as nossas, e ainda que tivemos que seguir os horários do passeio, visitar lugares sob uma pressão constante para que fossemos mais rápido ou ainda parar em pontos turísticos dispensáveis, como um comércio de rapaduras. Portanto, nada como fazer o que você quer, a hora que você quer e no lugar que você quer, ainda que seja de ônibus.


2 de mai de 2011

Novelas, novelas, novelas...


Desde criança era muito fã de novelas. Hoje nem tanto. O tempo passou, mas a maior parte dos novelistas se manteve. Portanto, as novelas continuam as mesmas, ou um pouco pior. Lógico, eles são mestres e acertam em algumas coisas, mas no geral falta a originalidade e o empenho dos primeiros trabalhos. Vide Gilberto Braga, por exemplo.

Atualmente assisto com grande prazer cada capítulo da novela "Vale Tudo", talvez a melhor novela de todos os tempos. Tá certo os capítulos que estão passando agora no canal Viva já mostram uma pequena "barriga" na novela. Mas até por volta do capítulo 70 a novela arrasou. E não era por causa de Odette Roithman, a grande vilã de todos os tempos e que todo mundo associa com a novela. O grande trunfo da novela era a trajetória oposta de duas personagens, mãe e filha: Raquel Accioly (Regina Duarte), tentando seguir a vida dentro de padrões éticos; e Maria de Fátima (Glória Pires), disposta a qualquer coisa para vencer na vida. Existe tema mais relevante para o Brasil do que essa discussão? Será mesmo possível vencer na vida sem se corromper, e até onde as pessoas realmente seguem padrões éticos ou não (vide personagens como o Ivan de Antônio Fagundes). A novela ainda tem personagens fascinantes como a inesquecível cherry Solange de Lídia Brondi, a alpinista social Aldeíde de Lília Cabral ou o irremediável otimista e inocente Poliana de Pedro Paulo Rangel.

Hoje temos "Insensato Coração", uma novela com um vilão absolutamente flat, que é o Léo de Gabriel Braga Nunes, ou um casal protagonista sem muito carisma. Uma ou outra trama paralela ganham destaque, como a de Glória Pires na cadeia, mas no geral a qualidade fica muito longe do passado.

E como não se divertir com a reprise de "Vamp", novela do "tempo que os vampiros não brilhavam na luz do sol", como anuncia o comercial do Viva. Além da trama vampiresca, trash mas divertida, temos um casal divertido e cativante: Reginaldo Faria e Joana Fomm, e seus 12 filhos.

Mas nem tudo está perdido na disputa novelas de hoje em dia contra novelas de antigamente. Uma das últimas novelas que tinha assistido com imenso prazer e procurando não perder nenhum capítulo havia sido "A Favorita" de João Emanuel Carneiro (que colaborou nos roteiros de "Central do Brasil" e "Cronicamente Inviável", dois dos meus filmes brasileiros prediletos). A novela simplesmente arrasou e revolucionou o gênero, trazendo nos seus primeiros capítulos duas protagonistas interpretadas pelas excelentes Patrícia Pillar e Claudia Raia. O público não sabia qual das duas era a vilã. Lógico, com uma novidade dessas, a novela não foi muito bem da audiência, mas depois que a vilania da Flora (Patrícia Pillar) foi revelada, as coisas começaram a melhorar e a novela terminou muito bem. A novela ainda trazia Carmo Dalla Vecchia, como Zé Bob, um papel chave, e o ator agora participa de "Cordel Encantado".

Aliás, está aí outra novela que representa um frescor para a dramaturgia brasileira. A novela de Thelma Guedes e Duca Rachid (que já foram supervisionadas por Carneiro em "Cama de Gato", a novela anterior das duas) é um primor de fotografia e direção de arte, e conta com um ótimo elenco. Mas o que se destaca mesmo é o roteiro, que mistura a busca de uma princesa (no casal, não é princesa do Brasil, ainda bem...), uma cidade sertaneja e um núcleo de cangaceiros. Basta assistir alguns capítulos para notar que a novela tem muito potencial, tem várias possibilidades de história interessantes para se desenvolver. Para ler mais sobre a novela, sugiro o artigo do Blog NaTV, que fala bem sobre as virtudes da novela.

http://natvcritica.blogspot.com/2011/04/um-encanto-de-novela.html

E é isso aí. Falar de cultura brasileira sem falar de novela é meio difícil, até mesmo se for pra falar mal. Mas assim como os Estados Unidos têm as séries/seriados, nós temos nossas novelas, que todo mundo gosta de torcer o nariz, mas que vez por outra a gente sempre acaba assistindo algum capítulo.

Ricky


François Ozon é um diretor francês de estilo bem diverso. Gostei muito de alguns filmes dele, como "O Tempo que Resta" e "Sitcom". Mas em cada filme ele busca um gênero novo. Aqui, o tema é sobre uma mãe e uma filha pouco convencionais, a filha parece mais madura que a mãe. O filme é bem construído e dirigido, principalmente no início que mantém um clima de suspense, no entanto fui ao cinema sabendo demais sobre a história. No final, uma das cenas pareceu destoar do realismo proposto no restante do filme. Mas mesmo assim, não prejudica e o filme propõe uma instigante mensagem.

Minha Cotação: * * *

1 de mai de 2011

Premiação da Academia Brasileira de Cinema




Anunciados os finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro
http://revistadecinema.uol.com.br/pagina_conteudo_listagem.asp?id_pagina=65&func=1&id=1882



Os longas “Tropa de Elite 2” e “Chico Xavier” lideram, com 16 indicações cada, a lista de nomeados ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2011. Outros filmes que apareceram bem na lista foram “As Melhores Coisas do Mundo” e “Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo”. Os vencedores serão anunciados no dia 31 de maio. O público poderá votar nos seus preferidos nas principais categorias, via site:




Confira os finalistas: